Blog

Voltar

As mulheres e o mercado imobiliário

26 de Março - 2021

As mulheres e o mercado imobiliário

Durante o mês de março, tempo de homenagear as mulheres e seu trabalho incrível em diversas áreas, não poderia faltar uma retrospectiva sobre a atuação das mulheres no mercado imobiliário.
Apesar da profissão de corretor de imóveis já existir há muitos anos, a atuação das mulheres no setor só foi permitida a partir de março de 1958. Isso porque o artigo 37 do Código Comercial Brasileiro, proibia as mulheres de atuarem como corretora de imóveis até essa data.
Mas esse passado de exclusão há algum tempo está sendo deixado para trás, pois uma pesquisa de 2013 do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) apontou que, entre 2003 e 2013, o crescimento do número de mulheres na categoria foi de 144%.
Já a Revista Exame divulgou em 2016, uma pesquisa indicando que 48% dos profissionais corretores de imóveis brasileiros já são mulheres. Além da busca por uma formação técnica e capacitação constante, as mulheres no mercado imobiliário se destacam em diversos aspectos.
Um desses aspectos é uma atenção maior aos detalhes, a imaginação e criatividade, a capacidade de enxergar as necessidades de cada cliente, habilidade de negociação e facilidade na comunicação.
Mas apesar de estar conquistando seu espaço, as mulheres enfrentam ainda muitos desafios, muitas vezes relacionados com estereótipos de gênero e ligados às expectativas comportamentais e exigências que a sociedade tem para mulheres. Alguns desafios enfrentados estão ligados à diferença de salários, dificuldade para conquistar reconhecimento e promoções, os empregadores muitas vezes possuem um estereótipo de que será difícil a mulher conciliar o trabalho e os filhos. Além das dificuldades impostas pela dupla jornada. As estatísticas no Brasil apontam que as mulheres ainda são as que mais se dedicam às atividades domésticas e cuidados com pessoas, esse quadro é ainda mais desafiador.
Mais do que educar, devemos apoiar e trabalhar por uma sociedade igualitária que valoriza o respeito às diferenças e promove a garantia ao trabalho igual, tanto no mercado imobiliário, quanto em qualquer outra áreas para as mulheres.